Histórico da AGROPRATA

Histórico da AGROPRATA
Agricultura Orgânica Uma Vida Saudável Recentemente aconteceu um censo que indicou os seguintes resultados na região do Rio da Prata em Campo Grande, RJ, Brasil. Existem 15 Membros fundadores desde 2000 e mais 12 associados na Associação de Agricultores e Produtores Orgânicos do Maciço da Pedra Branca (Agroprata), somando a agricultura familiar aproximadamente 180 famílias de pequenos agricultores e produtores do Parque Estadual da Pedra Branca, através da adoção de práticas orgânicas, do beneficiamento da banana e do caqui e da conservação do ecossistema local. Temos um número de 3.800 moradias na região e aproximadamente 11.560 pessoas residentes naquela área conhecida como Polo da Gastronomia, Turismo e Cultural da Zona Oeste Carioca. Perspectivas: - ampliar o número de famílias participantes e envolver os jovens da comunidade local no projeto de Inclusão Digital. - fortalecer o processo associativo e cooperativo dos produtores e agricultores. - atrair novos consumidores e novos associados, colaboradores. - estreitar parcerias com a sociedade civil, empresas, centro sociais, universidades, comércio local, Ongs e os órgãos públicos. Conquistas: - ações conjuntas - a adoção de trabalho em mutirão para manejo dos bananais, elaboração de caldas orgânicas e com postagem são soluções para a falta de mão de obra, além de fortalecerem os vínculos entre os componentes do grupo. Atualmente, eles produzem a Banana Passa, o Caqui Passa e sua mais nova experiência Vinagre de Caqui. - mulheres na orgânica - várias agricultoras estão desidratando banana, caqui e vinagre de caqui agregando valor ao que produzem. Implantada como uma Associação dos Agricultores Orgânicos da Pedra Branca, comercialmente denominada, (Agroprata). Em Novembro de 2000, os agricultores do Rio da Prata de Campo Grande, resolvem criar a sua Associação para produzirem e cultivarem alimentos orgânicos, trabalhando pela conservação e recuperação ambiental do Maciço da Pedra Branca, pelo lado do Rio da Prata em Campo Grande, RJ. Oficialmente na data de 18 de Novembro de 2003, foi criada e Registrada na Receita Federal sob o CNPJ nº 05.437.129/0001-85. Sua localização é na estrada da Batalha, 204 ou caminho da virgem Maria. Como o local é reconhecido pela população local. Específicos: - Estimular a valorização da produção local; - Contribuir para melhorar a boa colheita nas comunidades envolvidas, visando o avanço; - Proporcionar às famílias da nossa sociedade do Rio da Prata em Campo Grande, uma diversão, com ritmos diversificados de vendas dos produtos orgânicos; - Introduzir hábitos saudáveis como o alimento nas famílias da produção rural; - Incentivar a ouvir e curtir o melhor da inclusão digital por meio de processo educativo, cultural e social; - Apoiar a auto-sustentabilidade via a produção de cursos para a comunidade local; - Garantir a participação da comunidade, de forma a manter, preservar e resgatar a cultura promovendo um projeto de cunho educacional, social e artístico; PÚBLICO ALVO: - Grupos sociais, educacionais, familiares, culturais e artísticos, adolescentes, jovens e adultos, comunidade local, trabalhadores formais e informais, idosos e pessoas situadas nas roças e sítios no Maciço da Pedra Branca. PERFIL DO PÚBLICO: - Dados de pesquisas recentes sobre o povo do entorno do Maciço da Pedra Branca, lado do Rio da Prata de Campo Grande, RJ, apontam à média de idade é de 22 anos na Região. - Aqueles que têm o 2º grau completo são 25%. - Nível superior completo 8% e 2% são pós-graduados. - Tem automóveis 25% e 68% são de evangélicos que os possuem. - Que possuem celulares 75%. - Planos de saúde 22% da população. - Conta corrente mais de 21% a possuem. - Mais de 32% do povo faz algum tipo de investimento financeiro. - Possuem computador com Internet 52% e, discada 28% no Rio da Prata. Influências na hora de comprar: - 58% a família. - 33% os amigos. - 39% experiências anteriores. - 46% televisão. - 25% jornais de bairros e 18% jornais de grande circulação. - 42% revistas regionais e segmentadas. - 28% rádios comunitárias e 19% rádios comerciais. - 39% Internet (BLOG e Sites). Hábitos e atitudes frente ao consumo: - Os moradores e agricultores não compram marcas desconhecidas por causa de economizar, não! São fiéis as marcas que gostam. Planejam bem a compra de produtos de boas procedências mais de 42%. - Procuram ofertas especiais e descontos38%. Leem as informações dos rótulos dos produtos 25%. - Acham que produtos poluentes ao meio ambiente devem ser proibidos mais de 67% e que os produtos orgânicos são excelentes mais de 78%. - Gostam de estar em dia com a moda e estilo 28%. Dão valor a indicações de amigos conhecidos sobre as propagandas da mídia 29%. Fontes: Associação de Moradores, Comércio local, Escolas e Associação dos Produtores Orgânicos e familiares. AGROPRATA – Estrada da Batalha, 204 Cep 23017-390 Rio da Prata – Campo Grande – RJ – Brasil Contatos: Rita Caseiro – Diretora Executiva da AGROPRATA Informações: 21- 99943 9537/ HORÁRIO COMERCIAL e-mail: agroprata@gmail.com

quarta-feira, 3 de maio de 2017

PROJETO SOCIAL "ASSOCIAÇÃO SOMAR PARA DIMINUIR"

Por Graciano Caseiro

"...Sai depressa pelas ruas e bairros da cidade, pelos caminhos e valados e traz aqui os pobres e aleijados e faça-os entrar". (Lucas 14-21).

É um projeto voltado para a assistência social aos necessitados, visando, especialmente, à população em situação de rua. Mostrar, através de uma visão humanizada, que, quando somamos esforços, diminuirmos os danos causados por diversos fatores na vida de um ser humano. Não se pretende atuar por emoção, com sentimentos de dó, desencargo de consciência e fins eleitoreiros, mas o desafio de confrontarmos, primeiro, a nós mesmos, depois, ao regime governamental.


POR QUE DO PROJETO?
Assim, pretende-se entender as causas que marginalizam o indivíduo e compreendermos a ação do Estado quando o culpa. Aparentemente, o problema foge ao controle do Estado, não por deficiência em erradicar, mas pelo desinteresse, já que grande parte dessa população são usuários de drogas e mantêm os interesses de muitos maus intencionados.
A intenção de criar esse projeto é a de que encontrássemos pessoas com sensibilidade para ouvir o apelo dos que se encontram em situação de rua; muitos sem perspectiva de vida e de transformação, outros ainda demonstram alguma esperança.
O desafio é para todos que possam, de alguma forma, prestar seu serviço à humanidade, como profissionais, donas de casa, estudantes, etc.
É uma necessidade urgente;
É uma demonstração de amor ao próximo;
É um desapego do eu;
Para tanto, é preciso;

METODOLOGIA DO PROCESSO SÓCIO-EDUCATIVO.
Trabalhar na prevenção através de palestras;
Encaminhar para recuperação e ressocialização em local especializado;
Realizar cursos;
Viabilizar direitos (acesso) com entendimento no uso da cidadania;
Apresentar palestras e vídeos - para entendimento do grupo e acompanhamento das políticas que vigoram nosso país - também focando na cidadania com dinâmicas que estarão fortalecendo nosso propósito, enfatizando o pertencimento e a identidade do indivíduo.
COMO POSSO AJUDAR?
Sendo um: Parceiro. Associado ou Voluntário, preenchendo o formulário abaixo e entregando-o aos apresentadores ou enviando por email:

(projetosomarparadiminuir@hotmail.com)
(gruposomarparadiminuir@gmail.com)
https://www.facebook.com/associacaosomarparadiminuir/
ZAP 21 98370 3896

NOME:
DATA DE NASCIMENTO:
ENDEREÇO: 

EMAIL:
TELEFONE:
VOLUNTÁRIO NAS ÁREAS DE:
SOU UM CONTRIBUINTE DOANDO:


"Acreditamos que é possível promover ações coletivas e encontrar soluções para muitos problemas. Para isso é necessário que haja mobilização de meios e concentração de esforços para atingir os objetivos.
É com atitudes positivas, como um simples gesto, uma palavra amiga, um sorriso, ou um estender de mão, que podemos trazer esperança e fazer diferença na vida daqueles que mais precisam." (CNS)


Nenhum comentário:

Postar um comentário